relato2016 2

 

“Tive por longos anos um relacionamento abusivo com um dos membros de minha Igreja. Sempre se fala em jugo desigual, mas parece que ninguém lembra de dizer às meninas o quão mais perigoso pode se tornar um relacionamento movido a ciúme, intrigas, depreciação do outro e inclusive chegar a ameaças, ainda que essa pessoa seja membro de uma Igreja. Eu perdi vários amigos por conta do ciúme dessa pessoa e quando terminamos, ele me chamou de “vagabunda” e outras coisas muito piores. Sei de muitas meninas que passaram e ainda passam pelas mesmas coisas que eu passei e não querem terminar o relacionamento, principalmente porque o namorado é cristão e não querem correr o risco de virar alvo de fofocas dentro da Igreja ou por quererem casar com o namorado, por pior que ele seja. Quantas meninas precisam perder parte de sua auto-estima e amor próprio para que a Igreja perceba esse problema?”

Anúncios