Outubro Rosa e a Missão

O que é outubro rosa?

Neste mês, a Organização Mundial da Saúde promove o “Outubro Rosa”, o mês da prevenção do câncer de mama. São feitas inúmeras campanhas conscientizando sobre como prevenir esta doença e sobre outros cuidados com a saúde da mulher. Inúmeros prédios públicos ficam iluminados de rosa, e muitas pessoas usam adereços rosa nessa época para nos lembrar desta data.

Por que é tão importante cuidar da saúde? E o que ser cristã tem a ver com isso?

Na Aliança Bíblica Universitária do Brasil, gostamos da ideia da Missão Integral, e uma das frases principais é “O Evangelho TODO, para TODO homem, e para TODOS os homens” (substitua aqui a palavra homem por mulher). Observe que a palavra TODO aparece três vezes na frase e dá uma ideia de integralidade, de totalidade, de TUDO. Então, nenhuma parte do evangelho deve ser ignorada, assim como, o evangelho por inteiro tem que dialogar com todas as partes de um ser humano (saúde, corpo, trabalho, família etc) e para todas as pessoas (independente de etnia, gênero, cultura etc). Logo, por esta perspectiva, a saúde é uma parte importante de ser cristã.

Penso que cuidar de si, é mais que um ato de amor a si mesma, é um ato de amor a Deus. Ele nos enviou Seu único filho para morrer em nosso lugar, ressuscitar ao terceiro dia e então nos reconciliar com Ele por completo – nossas almas, corpos, vidas e histórias.  Cito aqui o texto de Isaías capítulo 53, versículos 4 e 5: “Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”. Entendo, nesse texto, que o sacrifício da cruz se trata também da nossa SAÚDE.

Nessa ideia de INTEGRALIDADE, que na medicina chamamos de clínica ampliada, a saúde das pessoas é entendida como um todo, não apenas ausência de doenças, mas um bem-estar físico, mental e espiritual, onde fatores biológicos, psicológicos e sociais interferem nesse processo. Então, cuidar de si mesma como um todo, é também (e não apenas) se prevenir de doenças como câncer.

Espere? E o Outubro Rosa?

Voltando ao assunto do mês mais rosa do ano, o câncer de mama é o 2° tipo de câncer mais comum em mulheres, depois do câncer de pele não melanoma. São 50 mil novos casos por ano no Brasil.  Se tratado precocemente, mais de 90% dos casos tem cura. Infelizmente, a maioria é diagnosticada em estágios mais avançados, o que causa uma alta taxa de mortalidade. Por isso, o diagnóstico precoce é muito importante. Se você tem entre 40 e 60 anos, a Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda que você faça mamografia e consulte seu médico uma vez por ano. A mamografia é como se fosse um raio x da mama, e consegue identificar alterações malignas (câncer) em estágios iniciais, permitindo o tratamento o mais rápido possível.

Ao contrário do que a maioria pensa, apenas 10 a 15% dos casos tem origem familiar ou genética, ou seja, tem outros casos na família. A grande maioria dos casos (85%) é do tipo esporádico. Logo, mesmo se ninguém na sua família teve câncer de mama você ainda tem chances de ter essa doença. Também é bom lembrar que se você tiver algum caso na família suas chances de ter câncer podem ou não ser maiores que a população em geral. Então, é importante visitar um médico especialista (ginecologista) pelo menos 10 anos antes da idade do diagnóstico de seu parente ex.: se sua avó teve câncer de mama aos 40 anos, vá ao médico pelo menos aos 30.

Eu ainda sou jovem, por que eu tenho que me importar com câncer de mama?

Existem algumas medidas que podem diminuir as chances de você, cara leitora, ter câncer de mama no futuro. Como, por exemplo, evitar o uso de cigarro; evitar o uso excessivo de álcool; se manter no peso adequado (ou perder peso se está com sobrepeso); evitar uso de anticoncepcionais hormonais, fazer atividade física, entre outros.

Em alguns raros casos, o câncer de mama acontece em mulheres mais jovens, como a maioria das mulheres em idade universitária. Por isso visite sempre seu médico, uma vez ao ano, para outros exames de rotina (como o Papanicolau, para rastreamento do câncer de colo de útero) e parar avaliação das suas mamas.

O autoexame há alguns anos foi muito difundido, mas a maioria das mulheres só consegue palpar ou observar um nódulo quando ele tiver mais que 2 cm, ou seja, quando ele já está em um estágio mais avançado. Uma médica ou um médico treinado, consegue perceber um nódulo menor, de 1 cm. Ainda assim o autoexame é importante, bem como a observação da cor da pele, do formato da aréola e do mamilo, e a palpação das mamas e axilas. Se notar alguma diferença, procure sua médica ou seu médico. Consultas periódicas com profissionais são fundamentais, não apenas por causa do câncer de mama, mas para sua saúde como um todo.

Além da prevenção do câncer de mama, aproveite este mês rosa para refletir sobre sua saúde. Se cuide!

Para mais informações e curiosidades: http://www.sbmastologia.com.br

 


Millena Catharino mora em Curitiba, é abuense e acadêmica de medicina na Faculdade Evangélica do Paraná.


O conteúdo e as opiniões expressas neste texto são de inteira responsabilidade de sua autora e não representa a posição institucional da ABUB, outra instituição ou de todas as organizadoras e colaboradoras do Projeto Redomas. O objetivo é criar um espaço de construção e diálogo.

Anúncios