relato4

“Recebi avisos de que em um grupo secreto de Facebook ao ser postado sobre minha confirmação de presença em um dos eventos da ABUB um menino pediu para que os meninos me combatessem – porque parece que certos moleques se acham no direito divino de fazer uma escala de santidade para hierarquizar as meninas (agora não só pela beleza), mas pela teologia que ela partilha e pela forma com que ela se relaciona com Deus. Na última vez, recebi informações desse grupo secreto do Facebook, que haviam postado um print com trecho de fala minha e de outra amiga em um grupo privado e sem nossa autorização, levantando falsas acusações e aclames para que os meninos desvalidassem nossas falas, nos silenciassem e nos ignorassem: a famosa lei da indiferença. Machismo virtual também é machismo.”

Anúncios